O Departamento de Antropologia da UFPR foi um dos primeiros a se constituir no Brasil. Em 1953, na comunicação apresentada à primeira Reunião Brasileira de Antropologia, no Museu Nacional do Rio de Janeiro, o médico, etnólogo e professor José Loureiro Fernandes enfatizou a necessidade de organizar o ensino e viabilizar as atividades de pesquisas antropológicas e arqueológicas que vinham sendo realizadas de forma não-institucional. A institucionalização da Antropologia no Paraná envolvia a criação do Departamento de Antropologia, do Museu de Arqueologia e Tradições Populares e do Centro de Ensino e Pesquisas Arqueológicas. Os planos para a implantação do Departamento de Antropologia da UFPR foram concretizados em 1958, quando tiveram início as atividades didáticas e de pesquisa do DEAN, que integrava a Faculdade de Filosofia Ciências e Letras. Primeira alternativa de pós-graduação lato sensu na área de Antropologia a ser estabelecida no sul do país, também pioneiro dos cursos de especialização da UFPR, em 1972 foi criado o Curso de Aperfeiçoamento em Antropologia, depois transformado em Curso de Especialização. Dando continuidade aos empreendimentos de ensino e pesquisa, o DEAN instituiu o Mestrado em Antropologia Social em 1991.

Vinculado ao Setor de Ciências Humanas, Letras e Artes da Universidade Federal do Paraná, atualmente o Departamento de Antropologia é responsável por um dos núcleos disciplinares básicos do curso de graduação em Ciências Sociais e pelo Programa de Pós-Graduação em Antropologia, em nível de Mestrado e Doutorado. Além de ofertar um elenco de disciplinas obrigatórias e optativas para a graduação em Ciências Sociais e a Pós-graduação em Antropologia, o Departamento de Antropologia atende, com a oferta regular de disciplinas, os cursos de Design, Enfermagem, Geografia, História, Psicologia, Nutrição e Oceanografia.

 

Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade Federal do Paraná

O Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade Federal do Paraná – MAE –, fundado em 1962, é um órgão suplementar administrativamente vinculado à Pró-Reitoria de Extensão e Cultura, é histórica e academicamente ligado ao Departamento de Antropologia. Desde seu estabelecimento como museu universitário, o Museu de Arqueologia e Etnologia da UFPR desenvolveu uma tradição consistente como instituição de pesquisa, constituindo-se como um centro de estudos de caráter interdisciplinar.

O MAE é um museu multilocalizado; além do espaço museológico em Paranaguá, existem dois outros em Curitiba:  a Reserva Técnica, instalada no Campus Cabral, e uma Sala Didático Expositiva, localizada no Prédio Histórico Central da UFPR. O acervo do museu é composto por artefatos coletados em pesquisas arqueológicas e etnográficas, principalmente do Paraná, daí sua grande importância para a compreensão da história do Estado. Atualmente possui um acervo de aproximadamente 80.000 peças, divididas em quatro grandes coleções: Arqueologia, Cultura Popular, Etnologia e Documentação Sonora, Visual e Textual.

O patrimônio arqueológico de base-pré-história é constituído de materiais líticos, ósseos, conchifreiros, cerâmicos e de fauna. Com peças representativas de 42 grupos indígenas de diferentes regiões do Brasil, o acervo etnográfico é composto por utensílios e instrumentos de trabalho, assim como por plumária, tecelagem, trançados, armas e adornos corporais. Entre as peças oriundas dos grupos originários do Paraná, como Kaingang e Guarani, o acervo conta ainda com uma coleção ímpar dos Xetá, contatados na década de 1950 e atualmente extintos enquanto sociedade (restaram apenas oito indivíduos). O acervo da unidade de Patrimônio e Cultura compõe-se de peças de artefatos populares, representativos de folguedos, tecelagem, cerâmica e brinquedos, assim como de indumentária, adornos e instrumentos musicais relacionados às expressões lúdicas da Congada, Cavalhada e Fandango. O MAE também possui uma biblioteca com cerca de 7.500 títulos, entre livros e periódicos, disponível para utilização dos alunos da UFPR e da comunidade em geral.

 

Informações adicionais podem ser consultadas na página do MAE.

 

Centro de Estudos e Pesquisas Arqueológicas

O Centro de Estudos e Pesquisas Arqueológicas – CEPA –, criado em 1956 pelo Instituto de Pesquisas da Universidade Federal do Paraná, é órgão auxiliar do Setor de Ciências Humanas, Letras e Artes. Foi instalado na cobertura do Edifício D. Pedro I e dirigido por muitos anos pelo professor Igor Chmyz. Atualmente o CEPA está localizado no campus Juvevê, e é dirigido pelo professor Fabio Parenti, docente do Departamento de Antropologia e do Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social. Além da formação em arqueologia, o CEPA vem realizando com notável continuidade pesquisas em vários estados brasileiros – todas elas resultando em publicações -, além de projetos de pesquisa em arqueologia de salvamento e relatórios de impacto ambiental. Pioneiro na execução de projetos de salvamento, tendo desenvolvido uma metodologia apropriada ao resgate do patrimônio arqueológico impactado, o CEPA obtém dos empreendedores o financiamento necessário à pesquisa e à manutenção de uma equipe de arqueólogos autônomos associados, além de empenhar-se na divulgação dos resultados de suas pesquisas. Ao lado das atividades de pesquisa, desde a sua fundação o CEPA/UFPR promove cursos formando dezenas de arqueólogos que atuam em diferentes estados brasileiros.

Informações adicionais podem ser consultadas na página do CEPA