Notícias


Setor de Ciências Humanas da UFPR desenvolve ação inédita de recuperação de acervo de obras raras

Iniciativa inédita da Direção e da Biblioteca do Setor de Ciências Humanas vai possibilitar a higienização, catalogação e recuperação para uso de pesquisadores de aproximadamente 15 mil obras raras do acervo da UFPR. Nesta quinta-feira (dia 16), às 9h, o reitor ZakiAkel Sobrinho visitará o acervo, ao lado do diretor do setor, Eduardo Barra, para conhecer o trabalho de recuperação.

Formado por livros e periódicos de elevado valor histórico e científico, o acervo começou a ser montado há cerca de 30 anos. Mas ganhou reforço com obras pertencentes ao escritor e filósofo paranaense Ernani Reichmann (um dos maiores e mais importantes acervos do filósofo dinamarquês Sören Kierkegaard no Brasil), Erasmo Pilotto e outros livros raros.

Nele, estão reunidas coleções não só das obras completas de Kierkegaard nos mais diversos idiomas (inglês, francês, alemão, italiano e espanhol), mas também – o que é mais importante – das edições críticas relacionadas ao autor em dinamarquês. O acervo reúne ainda alguns dos principais estudos feitos no mundo sobre a obra do filósofo até os anos 80.

As etapas do processo

O processo inicial de recuperação das obras envolve sua higienização, que começou a ser feita no mês passado por uma empresa especializada e deve ser concluída até março de 2016. Isto porque os livros e periódicos apresentam alto grau de contaminação por microorganismos, acidez e sujeira.

A segunda fase é a preparação física e técnica das obras, por bibliotecárias da UFPR, que deve durar cerca de dois anos. Outra fase é a avaliação da raridade do acervo. Para este trabalho, foi constituída uma comissão formada por seis professores de Ciências Humanas (três titulares e três suplentes), quatro bibliotecárias, dois servidores da área administrativa do setor. As avaliações das obras serão feitas na própria biblioteca, conforme os livros forem preparados.

Paralelamente a isso, quatro bibliotecárias da própria UFPR estão catalogando as obras. Posteriormente, há dois projetos em estudos, de médio e longo prazo: de restauração e digitalização dos livros e periódicos. “Mas isto ainda depende de projeto e recursos”, explica a chefe da Biblioteca de Ciências Humanas, Maria de Lourdes Saldanha do Nascimento.

Com a transferência da Biblioteca do Setor de Educação para o novo campus da UFPR no bairro Rebouças, em Curitiba, as obras raras ganharão sala especial. Este espaço precisa, porém, ser planejado rigorosamente para garantir a preservação do acervo e a saúde dos usuários. Um engenheiro ambiental da própria UFPR fará avaliação detalhada para determinar as condições ambientais ideais que garantirão a preservação das obras, o que inclui a instalação de equipamentos específicos para este fim.

 

Por Aurélio Munhoz

Ver Publicação Original