Os professores do PPGA atuam em atividades de pesquisa e extensão em comunidades indígenas, rurais e quilombolas. Além disso, mantém uma série de ações educativas, por meio de projetos desenvolvidos em parceria com o Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade Federal do Paraná (MAE/UFPR).  Algumas iniciativas recentes que merecem destaque:

  • O professor Marcos Silva da Silveira vem mantendo um diálogo com professores de Antropologia e Arqueologia da UFOPA – Campus Santarém como vistas a um intercâmbio a respeito das consequências das políticas de ação afirmativas nas IFES, tanto no caso dos estudantes indígenas quanto dos cotistas raciais.
  • A professora Liliana Porto coordena, junto com a doutoranda do PPGA, Judit Silva, um grupo de bolsistas no NEAB/UFPR cujo projeto geral é denominado “Direito, políticas públicas e quilombolas: reflexões sobre uma articulação complexa” e que conta com 4 bolsistas quilombolas, uma da psicologia e os outros três da turma de direito do PRONERA – que é a turma especial de direito criada a partir de convênio com o INCRA e voltada para assentados da reforma agrária e quilombolas, no contexto do PRONERA (Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária). O projeto dos dois bolsistas sob a orientação da profa. Liliana é “O PRONERA visto de dentro”, e visa a mobilização dos próprios atores participantes, para que eles mesmos possam falar da experiência da qual fazem parte, que é análoga à experiência de estudantes de outros lugares do Brasil vinculados a vários movimentos sociais.
  • Em 2016 foi instituído o Grupo de Estudos sobre o diálogo e a atuação interinstitucional em relação à presença indígena no litoral do Paraná, parceria estabelecida com o Ministério Público do Estado do Paraná/UFPR. O professor Ricardo Cid Fernandes vem realizando uma série de reuniões com a participação, também, de outros pós-graduandos do PPGA.
  • Destacamos que a oitava edição da Semana de Antropologia e Arqueologia caracterizou-se pela sua abertura à sociedade através de atividades desenvolvidas, também, fora do espaço da UFPR: no Paço da Liberdade/SESC-Paraná e na Casa Selvática (espaço de realizações de eventos teatrais, dança e artes visuais). A presença destacada de participantes indígenas nas mesas redondas, grupos de trabalho e oficinas foi outro aspecto marcante do evento. O evento foi organizado em paralelo com o II Seminário de Etnologia e Museus e a IV Semana de Oficinas em Arqueologia. O evento contou com Grupos de Trabalho, conferências e mesas redondas, bem como um Mostra de filmes etnográficos e uma oficina de Arqueologia. Importante destacar, também, que a Semana de Antropologia e Arqueologia, o Seminário de Etnologia e Museus e a Semana de Oficinas em Arqueologia, vem sendo uma instância de aprofundamento de relações acadêmicas e científicas entre o PPGA e Museu de Etnologia e Arqueologia (MAE), o Centro de Estudos e Pesquisas Arqueológicas (CEPA) e a comunidade em geral.
  • Desde 2016  o PPGA, através de diversas iniciativas dos seus docentes, vem aprimorando os instrumentos de divulgação das suas atividades. Um indicativo deste esforço de abertura à comunidade foi a criação e gerenciamento de um canal na rede social YouTube  voltado à divulgação de aulas inaugurais, palestras, entrevistas e vídeos etnográficos produzidos por docentes e discentes do DEAN e do PPGA. Ao final de 2016 o canal contava com 52 vídeos. Destaca-se o potencial didático deste conteúdo disponibilizado gratuitamente pela internet e a vocação do PPGA para se abrir (e atrair) o público externo à antropologia.

 

 

UFPR ABA CNPQ CAPES